Diário de Bordo Europa: IPSF WC

Começando do básico aqui, o que é IPSFÉ tipo o MEF (Movimento Estudantil de Farmácia) internacional, só que mais organizado um pouco e mais voltado para assuntos farmacêuticos. Veja melhor neste post que também fala um pouco sobre a IPSF PARO. 

Bom, já queria ir no congresso desde 2011, quando estava cogitando ir para o congresso de 2012, no Egito. Como isso não aconteceu, esse ano era quase certo que eu iria já que estava empenhada. Fiz um post sobre o congresso muito antes das inscrições abrirem e de lá para cá muita coisa aconteceu.

Me inscrevi para receber um “grant” (tipo uma bolsa) do ASA, na Universidade de Alberta, que é a associação de estudantes deles. Diferente do Brasil, eles realmente tem dinheiro pois parte da tuition (o que seria a nossa mensalidade mas eles pagam por semestre) vai para o ASA. Alias, é quase impressionante ver eles reclamando de dinheiro por conhecer a realidade no Brasil.

Mas enfim, preenchi uma ficha enorme e me chamaram para uma entrevista. Depois de alguns dias saiu o resultado que eu consegui o auxílio para ir no congresso, e mais, um dos maiores auxílios dados naquele ano. Recebi CAD$1000 que cobriu todas as despesas relativas ao congresso e ao LIT.

Ao participar do congresso você tem mais ou menos “duas opções” (ou dá para mesclar as duas): ir nos workshops/palestras/etc ou ir nas GAs (General Assembly). Resolvi focar em ir nas GAs para conhecer melhor a IPSF mas acabei indo em alguns outros eventos como o workshop “IPSF in Policy I”. Queria ir nos outros mas foram cancelados pois o cronograma da GA atrasou muito e isso levou a vários problemas. Também dei um workshop juntos com 3 outros participantes do LIT, o workship “Time Management”. Para quem quiser saber o que aconteceu nesse congresso dá para ver o livrinho com todas as informações.

Na GA, acabei trabalhando um pouquinho como secretária. Isso aconteceu por acaso a primeira vez depois eles pediram algumas outras vezes. É um trabalho muito cansativo na verdade pois você tem que anotar todos os micro-detalhes (o que falam, quem fala, de que país a pessoa é, de que associação ela é, etc) de tudo que acontece. Depois a secretária oficial da IPSF vai escutar a gravação novamente e fazer a ata oficial (um processo que demora meses).

A parte que eu menos gostei com certeza foram o Educational Symposium e Scientific Symposium. Tinha tudo para ser algo legal mas eles realmente não souberam usar o tempo e colocaram 5 palestras por dia (enormes) sobre assuntos as vezes bem aleatórios. Poderia ter sido algo temático ou com um objetivo final como uma discussão sobre tema X. Enfim, espero que o ano que vem em Porto seja melhor. Ou na Índia em 2015.

Mas com certeza a melhor parte é a interação com pessoas de vários países do mundo. E o evento noturno mais interessante foi a International Night. Parte do evento era focado nas mesas de cada país com coisas típicas desde decoração, comida até bebida. Alias, fizemos uma bebida especial com a mesa do lado, o Canadá. Misturamos cachaça que os meninos levaram com o maple syrup canadense. Ao mesmo tempo, no palco aconteciam as apresentações de cada país. Consegui filmar parte:

Egito, Austrália:

Indonésia, Romênia, Indonésia:

Egito, Romênia, EUA, Portugal:

Egito, Indonésia, Turquia, República Tcheca, Argentina, Índia, EUA, Portugal:

Anúncios